Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de março de 2012

Parábola Da Sogra



Era uma vez uma jovem chamada Lin, que se casou e foi viver com o marido na casa da sogra.

Depois de algum tempo, começou a ver que não se adaptava à ela. O temperamento de Lin era muito diferente e se irritava constantemente com a mãe de seu marido.

Com o passar dos tempos, as coisas pioraram tanto, que viver com ela, se tornou insuportável.

No entanto, segundo as tradições antigas da China, a nora tem que estar sempre a serviço da sogra e obedecer-lhe.

Mas Lin, não suportando por mais tempo, a idéia de viver com ela e tomou a decisão de ir consultar um Mestre.

Depois de ouvir a jovem, o Mestre Huang pegou num bom ramalhete de erva, para se usar por meses e disse-lhe:

“Para te livrares da tua sogra, não as deves usar de uma só vez, pois isto, poderia causar suspeitas. Vais misturá-las com a comida, pouco a pouco, dia após dia, e assim ela vai-se envenenando lentamente. Outra coisa, para que ninguém suspeite de ti quando ela morrer, tenha o cuidado de tratá-la sempre com muita amizade, respeito e carinho”.
Lin respondeu:

“Obrigado, Mestre Huang, farei tudo o que me recomendas”.
Lin ficou muito contente e voltou entusiasmada com o projeto de assassinar a sogra lentamente.

Durante várias semanas, Lin serviu todos os dias, uma refeição preparada especialmente para a sogra.

E tinha sempre presente, a recomendação do Mestre Huang, que para evitar suspeitas, deveria controlar seu temperamento e tratá-la com amizade, respeito e carinho.

Passados seis meses...

Aquela família, estava totalmente mudada.

Lin controlou totalmente o seu temperamento e não se aborrecia mais com a sogra. Havia meses que não mais discutia com ela.

A sogra se mostrava muitíssima amável e a tratava como fosse uma filha querida.

As atitudes de Lin mudou tanto, que ambas pareciam ser mãe e filha.

Então, Lin foi correndo procurar o Mestre Huang, para lhe pedir uma nova ajuda e disse-lhe:

“Mestre, por favor, ajude-me a evitar que o veneno venha a matar a minha sogra. É que ela mudou muito e se transformou numa mulher tão agradável, que parece ser minha mãe. Não quero que ela morra por causa do veneno que lhe dei.”
Mestre Huang sorriu e abanou a cabeça:

“Lin, não te preocupes. A tua sogra não mudou. Quem mudou foste tu. A erva que te dei é apenas um chá. O veneno Lin, estava nas tuas atitudes, mas foi sendo substituído pela prática do amor ao próximo que exercitastes no seu dia a dia de tolerância, compreensão e paciência”.
Na China, há um provérbio que diz:

“A pessoa que ama os outros, também, será amada”.


Recebi este texto por e-mail.
Autor: desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário